Entidades querem unificar pauta do Dia 8 de Março para combater a violência contra a mulher

Levando em consideração o elevado índice de violência contra a mulher que ocorre no estado de Roraima, o Núcleo de Mulheres de Roraima, pretende somar forças com uma série de entidades sindicais e sociais visando garantir que o Dia Internacional da Mulher seja um dia de ações que fortaleçam o combate contra a violação dos direitos da mulher.

Para tanto, recentemente, realizou uma reunião que contou com a participação das seguintes entidades: representantes do Sindicato dos Servidores Públicos Federais de Roraima (Sindsep), da Associação Nacional de História (ANPUH), dos Centros Acadêmicos de Psicologia e de História da UFRR, do Coletivo de Educação em Luta (CEL), do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Roraima (Sinter), Grupo de Estudo Interdisciplinar em Fronteiras (GEIFRON-UFRR) e profissionais independentes.

A proposta apresentada como referencia inicial para o debate das entidades participantes da reunião foi a de realização de uma Parada de Mulheres de Roraima, com pauta unificada centrada nas contribuições de cada representação organizadora do evento, mas sem perder o foco das reivindicações macros em âmbito nacional e internacional.

“A ideia é dar essa densidade, de construção de uma unidade. Que as mulheres do mundo todo estão mobilizadas e que vão parar, porque as principais vítimas das ameaças da crise do sistema e da crise do capitalismo somos nós, mulheres”, esclareceu a socióloga do Numur, Andréa Vasconcelos,.

Ela lembrou ainda que “A proposta é trabalhar as questões que hoje enfrentamos. Como o problema da violência contra a mulher, o impacto da reforma da previdência na vida das mulheres e os projetos de leis federais e estaduais que sinalizam retrocesso para nossa vida”, disse a socióloga.

Na opinião da historiadora Raimunda Gomes, que integra o Numur, é preciso dar um sentido político e de participação coletiva nas atividades a serem realizadas no Dia 8 de Março.

“Não há dissociação entre luta das mulheres e questões políticas. Sempre fará parte da nossa pauta debates e ações contra decisões políticas que nos afetam ou afetam a sociedade em geral”, destacou Raimunda Gomes.

Maria Janice Linhares, representante do Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Estado de Roraima (Sindsep), acrescentou que é muito importante a socialização das ideias e a união das entidades na organização do ato.

“Esse dia deve ser também um chamamento para as mulheres que estão em cargos políticos no estado. Elas precisam entender e atender as pautas das mulheres de Roraima”, ressaltou Janice.

Por fim, ao final ficou agendada uma nova reunião para o dia seis de fevereiro – às 18h30min, no Espaço União Operária, local ainda as ser confirmado pela direção da Universidade Federal de Roraima (Ufrr) – para a retomada do debate e para as deliberações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Traduzir »