Evento em preparação da 4ª Conferência Nacional de Formação da CUT termina hoje

Desde ontem, lideranças sindicais ligadas à Central Única dos Trabalhadores de Roraima (CUT/RR) realizam um evento de formação política sindical na sede da entidade visando preparar 4ª Conferência Nacional de Formação da CUT que acontecerá no período de 27 a 31 de maio em Belo Horizonte (MG).

O encontro organizado pela secretaria de formação da CUT estadual tem como tema “Somos e fazemos o trem da história”, numa homenagem ao jargão popular mineiro, tendo quatro eixos de reflexão e de estudo: futuro do trabalho, luta por direitos, transição justa e rumo ao socialismo.

De acordo com o organizador do evento, secretário de formação da CUT local, Robson Avelino, o encontro de lideranças é muito importante para nivelar o conhecimento entre as lideranças sindicais, principalmente num período em que diariamente o Governo Federal publica Medidas Provisórias e Decretos que visam tirar direitos dos trabalhadores e ao mesmo tempo enfraquecer a única ferramenta de luta da classe trabalhadora que são os sindicatos.

“Entendemos que estamos vivendo um momento muito delicado e que neste contexto não podemos nos acovardar. Precisamos interagir com nossas bases sindicais e – num processo didático/pedagógico – esclarecer sobre os graves prejuízos que os trabalhadores terão caso esse governo consiga implementar seu projeto que visa atender ao mercado financeiro internacional e não ao povo brasileiro”, destacou Robson Avelino.

Por sua vez, o presidente estadual da CUT/RR, Gilberto Rosas, fez uma avaliação da conjuntura política nacional e estadual na qual os trabalhadores são colocados como alvos dos governos numa busca incessante de retirada de direitos e que o momento de evitar que mais retrocessos aconteçam.

“A realização da 4ª Conferência Nacional de Formação da CUT chega num momento muito apropriado para os dirigentes sindicais e para os sindicalizados, pois precisamos ter clareza dos passos que vamos dar para garantir os nossos direitos e também definir uma estratégia eficaz que envolva as nossas bases sindicais nesta grande e permanente jornada em defesa dos direitos da classe trabalhadora da cidade e do campo, principalmente contra a aprovação da Reforma da Previdência”, observou Gilberto Rosas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Traduzir »