Livro eletrônico de prevenção ao suicídio, de autoria de Marcelle Wottrich, foi lançado no Setembro Amarelo

Diferente dos anos anteriores, em função da pandemia do novo coronavírus, as inúmeras atividades preventivas de alerta e prevenção ao suicídio realizadas durante o chamado “Setembro Amarelo” foram reduzidas significativamente.
As ações preventivas que normalmente aconteciam nas escolas da rede estadual de ensino tendo como público alvo adolescentes e jovens foram difundidas através das redes sociais e de alguns meios de comunicação.
E foi pensando em abrir um espaço de reflexão permanente sobre o assunto – aproveitando sua experiência de professora em sala de aula e o aprendizado acumulado com a formação e a prática na área da psicologia – que a psicóloga Marcelle Wottrich lançou, no início do Setembro Amarelo, um ebook (livro eletrônico) visando favorecer orientações e apoio para uma vida mais saldável emocionalmente.
O livro, com versão em português e espanhol traduzido pela professora Mara Gardeane, pode ser acessado gratuitamente através do seguinte endereço eletrônico: https://drive.google.com/file/d/1CdUKut9PrbCZddhAP_iwahmuWFimPsdG/view?usp=drivesdk
Produzido inicialmente em português e espanhol com acesso gratuito para um público infanto-juvenil, com o título “Dia de Sol”, o ebook traz uma abordagem simples e ao mesmo tempo motivadora que visa favorecer debates e reflexões de valorização da vida e de combate ao índice elevado de suicídios ocorridos em Roraima, principalmente entre adolescentes e jovens.
Marcelle recorda que desde quando começou a realizar palestras nas escolas da rede estadual de ensino detectou que muitos jovens necessitavam de uma atenção especial nesse sentido. Há cerca de cinco anos ela dá palestras através do Programa Justiça Comunitária, do Tribunal de Justiça de Roraima (TJ/RR),
Segundo ela, no trabalho relacionado à mediação de conflitos ficou evidenciado que muitas famílias ainda possuem o triste hábito de achar que os transtornos emocionais – que são casos de adoecimento emocional – são apenas “frescura” e por isso não dão a devida atenção ao problema que o adolescente ou jovem vivencia.
Entretanto, conforme relata Marcelle Wottrich, os dados estatísticos que indicam o elevado índice de suicídios entre adolescentes e jovens em função de transtornos emocionais não são frescura e alerta que esse público precisa ter a oportunidade de falar cada vez mais sobre o assunto, no caso o suicídio.
“Com o ebook eu quero dizer para esse jovem que respeito a sua dor e que juntos podemos começar o exercício de buscar outros caminhos. Proponho caminhos que sejam de Sol e isso é possível a partir do momento que naturalizarmos o ato de falar, falar do que nos ocorre, de nossas angústias”, fez questão de destacar Marcelle.
Segundo ela, o objetivo maior é que adolescentes e jovens possam encontrar nesse instrumento uma palavra amiga e que não se sintam sozinhos. Mas apesar de ser uma produção feita inicialmente para esse público, Marcelle observa que o conteúdo da produção literária pode servir para pessoas de todas as idades e de qualquer camada social.
“São informações simples que podem ser determinantes para salvar vidas e que podem ser colocadas em prática por qualquer pessoa em qualquer lugar. O livro apresenta sugestões que podem servir para quem está vivenciando um momento de angústia ou que possa tirar cinco minutos do seu tempo e compartilhar um sorriso com alguém, uma escuta ou só ficar ali sentado dando a sua companhia”, fez questão de afirmar.
Ela destaca que esse período de isolamento para muitas pessoas têm sido um momento verdadeiramente triste e adoecedor e que várias são as pesquisas que falam sobre o impacto dessa “solidão “ a longo prazo.
“Podemos pensar que muitos jovens estão se sentindo solitários, a vida para o adolescente também possui uma carga emocional gigantesca. Para alguns, essa vida é muito dura e a escola assim como o encontro com os seus pares funciona como renovação de energias. Agora não temos isso e precisamos nos reinventar. Não poderei ministrar as palestras, tento fazer com que parte desse carinho chegue até eles através dessa produção literária…”, confessa.
Segundo ela, o desafio maior é dar publicidade ao trabalho para que o livro seja usado como uma ferramenta de reflexão, de debate, de interação e de ponto de partida de aulas não presenciais, mas também que esteja disponível para qualquer pessoa que passe por um momento de dificuldade, de angustia e que muitas vezes precisa de uma palavra amiga, uma palavra de incentivo que ajude no resgate da autoestima e do despertar da dimensão da esperança.
“Eu penso que é uma função nossa enquanto sociedade buscar sempre a vida. Existe uma doutora, Karina Fukumitsu que diz “se tem vida tem jeito”. Eu concordo e penso que o caminho é seguir em frente e se estiver difícil não se preocupar em correr, mas seguir e olhar sempre pra onde nasce o Sol. O Sol de que falo está dentro de nós, dentro de cada pessoa que nossa vista pode alcançar, está em todos. Não somos capazes de viver sozinhos, não dá. A vida é um entrelaçado de experiências, de emoções, gargalhadas”, fez questão de afirmar Marcelle Wottrich.
Por fim, ela aconselha “Gostaria de falar para as famílias o quanto é importante transformar o carinho, o amor, em Ação. Muitas pessoas sabem que são amadas, mas bom mesmo é Sentir-se amado. Pais abracem mais os seus filhos, façam cócegas, trolem com alguma brincadeira, estejam presentes”, concluiu.
Quem é a professora-psicóloga
Sou professora e sou grata por tudo o que essa profissão me proporcionou e proporciona.
Minha segunda formação é a psicologia que em todos os momentos me ensina um pouco mais.
Pós-graduada em Psicopedagogia, Educação para Saúde e Psicologia do Trânsito.
Tenho formação em Abordagem Sistêmica Fenomenologia e sou acadêmica do Mestrado em Educação da UERR.
Atualmente sou Coordenadora do Programa Justiça Comunitária.
De verdade acho que gosto de escrever, sou artista, amo o palco, sonho poesias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *