A Via Láctea

A Via Láctea é a galáxia em que se encontra o Sistema Solare, consequentemente, o planeta Terra. Ela recebeu esse nome (Via Láctea ou estrada do leite) em virtude do seu aspecto esbranquiçado, de aparência leitosa, que pode ser visto em noites de inverno em locais sem nuvens ou poluição.

Acredita-se que a Via Láctea tenha surgido há milhões de anos, logo após o Big Bang, formando-se a partir de uma única nuvem composta por hidrogênio, hélio e poeira cósmica. Com o passar do tempo, em virtude da variação da gravidade em seu interior, essa nuvem teria se fragmentado e formado várias nuvens, que passaram a se desenvolver de forma independente, originando, assim, as galáxias, gigantescos sistemas compostos por poeiragases, bilhões de estrelas e astros menores (como planetas, cometas, meteoros etc.).

A Via Láctea possui um modelo espiral e é constituida por três elementos principais: o disco, obojo e o halo. O disco da galáxia é o elemento que define o seu modelo espiral, visto que ele é constituído por vários braços compostos por bilhões de estrelas, poeira e gases. O bojo é a área central da galáxia, possui um formato circular e é formado, principalmente, por estrelas mais velhas de coloração avermelhada. O halo, por sua vez, é uma estrutura circular constituída por estrelas dispersas e aglomerados de estrelas bastante antigas que envolvem toda a galáxia.

O estudo da nossa galáxia não é uma tarefa fácil. Isso porque, como estamos em seu interior e a tecnologia que possuímos hoje não nos permite explorá-la, o seu estudo ainda é muito impreciso. Para se ter uma ideia, até 2013, nenhuma sonda não tripulada e muito menos nave espacial tinham conseguido sair do nosso Sistema Solar, que é apenas uma fração minúscula da galáxia em que nos encontramos.

O desenvolvimento de teorias sobre a Via Láctea ocorre a partir da observação de seus astros e da comparação com outras galáxias semelhantes à nossa e que são visíveis aqui da Terra. Embora ainda não tenhamos tecnologia suficiente para percorrer a galáxia, os atuais equipamentos utilizados na observação espacial (telescópio, satélites e outros) conseguem registrar imagens de excelente qualidade, o que pode ampliar o nosso conhecimento a respeito desse gigantesco sistema.

Por Thamires Olimpia
Graduada em Geografia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Traduzir »